O Que Você Precisa Saber Opções de Tratamento

    Uma vez diagnosticado com mieloma, o primeiro passo no tratamento é avaliar a doença naquele indivíduo. O mieloma afeta cada pessoa de uma forma diferente, então os médicos definem um plano de tratamento adequado para cada paciente.

   Para pessoas com mieloma assintomático (os exames mostraram a presença de mieloma, mas o paciente não tem sintoma da doença ativa – isto é chamado de mieloma indolente) não existe até o momento tratamento que impeça que ele venha entrar em atividade, portanto normalmente é feito um acompanhamento regular da doença.

    Poderá ser prescrita uma medicação chamada bisfosfonato (veja a definição abaixo), que ajuda a prevenir danos ósseos mas que aparentemente não impede a evolução da doença.

    O mieloma pode permanecer indolente por vários anos. No entanto é importante que os pacientes sejam monitorados regularmente para que ao primeiro sinal de evolução da doença medidas adequadas sejam tomadas.

   A finalidade do tratamento é que o paciente se sinta melhor e seu organismo funcione melhor, isto é, que leve a vida o mais próximo do normal possível. O tratamento também deve controlar os efeitos da doença no funcionamento normal do corpo, reduzindo a velocidade destes efeitos ou parando-os temporariamente. As remissões podem durar meses ou até anos.

Lembre-se:
Decidir sobre o tratamento é a primeira decisão importante.
Como já foi enfatizado, testes iniciais, estadiamento e classificação de prognóstico são essenciais.
O tratamento é recomendado para mieloma ativo ou sintomático.
A urgência do tratamento depende do diagnóstico de cada paciente.

Tipo de Tratamento
Objetivo
Exemplos
Tempo para decidir
Estabilização
Combater os distúrbios bioquímicos e imunológicos que apresentam riscos de vida
Plasmaferese para diluir o sangue e evitar derrame cerebral, hemodiálise quando a função renal estiver comprometida. Medicamentos para reduzir a hipercalcemia (pode incluir quimioterapia)
Horas a dias
Paliativo
Aliviar o mal estar e possibilitar uma vida normal ao paciente
Irradiação para interromper a destruição óssea. Eritropoetina para diminuir a anemia. Cirurgia ortopédica para fraturas ósseas ou reforço da estrutura óssea
Dias a meses
Indução à remissão
Melhorar os sintomas, retardando ou interrompendo o curso da doença.
Quimioterapia para matar as células malignas do corpo todo. Irradiação para eliminar as células malignas no local do tumor
Semanas a meses
Cura
Remissão permanente*
Transplante de medula óssea como uma forma de administrar quimioterapia em altas doses
Semanas a meses

*Embora nunca tenha sido obtida nem confirmada, a remissão permanente continua sendo o objetivo de muitos tratamentos experimentais.

- Terapia Inicial ou de Primeira Linha

     É importante que o paciente reserve bastante tempo para discutir as opções com seu hematologista ou hematologista/oncologista. Além dos resultados dos exames iniciais, os pontos a serem considerados são:
Qual o impacto do mieloma nas atividades do dia a dia?
O paciente conseguirá trabalhar? Já está tudo planejado para se ausentar do trabalho quando for necessário receber o tratamento?
Qual a idade do paciente? Existem outros problemas médicos?
O paciente é capaz de tolerar a quimioterapia?
A quimioterapia em altas doses com transplante de células-tronco é uma opção?

TERAPIA DE PRIMEIRA LINHA
VANTAGENS
DESVANTAGENS
VAD (Vincristina / Adriamicina / Dexametaso-na)
• Promove remissão em 70% dos pacientes.
• Não danifica as células-tronco normais.
• Pode ser a base para o transplante de células-tronco.
• Requer a introdução de um cateter central para administração IV. O cateter pode ser responsável por infecções e complicações de coagulação sangüínea.
• A vincristina pode causar dano nervoso.
MP (Melfalan / Prednisona)
• Administrado por via oral.
• Bem-tolerado.
• Promove excelente remissão em cerca de 60% dos pacientes.
• Os médicos estão bastante familiarizados com o protocolo.
• Pode causar dano às células-tronco da medula óssea e, com isso, reduzir as chances de sucesso do transplante de células-tronco.
• Para obter o benefício total levam vários meses.
• Não é ideal se for necessária uma resposta imediata e/ou se estiver prevista a realização de um transplante de células-tronco.al.
Dexametasona:
• Dexametasona sozinha Dexametasona sozinha em pulso proporciona uma porcentagem considerável do benefício do VAD completo. A tolerabilidade à dexametasona em esquema intensivo pode ser ruim.
• Dexametasona + Melfalan Combinada a Melfalan proporciona benefício mais rápido do que MP. O uso do Melfalan em primeiro lugar danifica as células-tronco.
• Dexametasona + Talidomida Combinada a Talidomida é um novo esquema oral promissor que promove remissão em 70% dos pacientes. A Talidomida ainda é experimental como opção de primeira linha. A neuropatia é um problema. Os benefícios a longo prazo não são conhecidos no momento.
Muitas outras Terapias são eventualmente usadas, como Citoxan® (Ciclofosfami-da) e Etoposide® (VP-16). As combinações possíveis são:
VBMCP (protocolo M2)
VMCP/VBAP (protocolo SWOG)
ABCM (protocolo UK MRC)
CVAD (protocolo pré-células-tronco)
• Combinações são abordagens mais agressivas, se consideradas necessárias.
• Os sintomas da doença ativa podem ser controlados mais rapidamente e a qualidade da primeira remissão pode ser melhor.
•· Mais efeitos colaterais do que os esquemas mais simples.
• Nenhum benefício adicional a longo prazo.
• Efeitos colaterais podem piorar a qualidade de vida e comprometer a elegibilidade para novos protocolos.

     Mais detalhes sobre as opções de tratamento estão disponíveis em outras publicações da IMF: Revisão Concisa, Entendendo o Transplante; Entendendo a Talidomida; Mieloma Hoje e outros. Para pedidos, entre em contato com a IMF.
O grau e a velocidade da resposta ao tratamento variam de paciente para paciente.
Todas as decisões quanto ao tratamento não precisam ser tomadas no primeiro dia.
É sempre bom deixar a porta aberta para um transplante de células-tronco se você acreditar que essa é uma possível opção futura para o seu caso.
Embora existam estudos clínicos de primeira linha, você deve se sentir totalmente confortável com o fato de poder ser randomizado para um tratamento ou para outro. Você pode ficar ‘proibido’ para randomização futura e outros tratamentos. Entenda muito bem toda a abrangência do protocolo.
Se um tratamento não der certo, não significa que um outro não possa funcionar muito bem e resultar em uma remissão excelente.

- Tratamento de suporte

     Estão disponíveis tratamentos para aliviar o impacto físico e emocional da doença. O uso de condutas de tratamento de suporte logo no início do tratamento é tão importante quanto a própria terapia de primeira linha.

Sintomas
Tratamento
Comentários
Cansaço e fraqueza devido a anemia
• Transfusão de sangue(papa de hemácias; pobre em leucócitos; verificado para vírus) em caso de anemia profunda.
• Eritropoetina: Em caso de anemia leve a moderada
Os tratamentos são simples, costumam ser altamente benéficos e melhoram a sensação de bem-estar.
Dor óssea
• Bisfosfonato(p. ex., Aredia® 90 mg IV por 2-4 horas uma vez por mês).
• Analgésico, se necessário (p. ex., Tylenol®, derivado de morfina oral, Fentanyl® ‘Adesivo contra Dor’)
O alívio da dor óssea é, por si só, extremamente importante, da mesma forma que melhorar a atividade física, que promove a força e a cicatrização ósseas e o bem-estar emocional.
Febre e/ou evidências de infecção
• Antibióticos adequados
• Neupogen®, se necessário para aumentar a baixa contagem de leucócitos.
• Gamaglobulina intravenosa para infecções graves.
• Devem ser realizados todos os exames necessários
Embora os antibióticos devam ser escolhidos e usados com cuidado, é muito importante que as infecções sejam controladas de imediato. Recomenda-se ter um antibiótico a mão para ser usado em caso de emergência (principalmente em viagens).

     Além do tratamento de sintomas específicos, várias condutas de suporte são extremamente importantes:
Atividade Física - Os pacientes devem perguntar a seu médico se é possível praticar todo tipo de atividade física ou se é necessário fazer algum ajuste em virtude da doença óssea e das áreas com dano ósseo. Normalmente, algum tipo de atividade física, como caminhada, natação, exercícios de flexibilidade e alongamento e/ou um programa personalizado de yoga, pode ser programado.
Dieta - Não há nenhuma dieta especial para pacientes com mieloma. Essa área de pesquisa ainda está em desenvolvimento. Em geral, valem as recomendações de ‘dieta saudável’ seguidas para outras condições, como doença cardíaca e câncer em geral (p. ex., câncer de mama). O cuidado é maior com:
 
-
Vitamina C - Doses elevadas (isto é, > 1.000 mg/dia) podem ser contra-indicadas em mieloma, pois aumentam o risco de dano renal.
 
-
Suplementos Vitamínicos e Fitoterápicos - Converse com seu médico sobre o uso de suplementos junto com a quimioterapia ou outro tratamento medicamentoso. As interações medicamentosas são muito comuns e podem resultar em problemas médicos.
Saúde Mental - Sua saúde mental é fundamental à medida que você avança no tratamento planejado. Você deve estar completamente confortável com o tratamento planejado.
Ter um sono regular - Isso é de importância vital para o seu sistema imunológico.
Fazer adaptações - Tanto quanto possível, diminua ou elimine o estresse no trabalho, na família ou em eventos sociais. O tratamento do mieloma é a sua prioridade número 1 até que seja obtida remissão e/ou estabilização da doença.

- O que fazer se a terapia de primeira linha não estiver funcionando

     Existem diversas opções de tratamento além das que foram apresentadas neste manual. É cada vez maior o número de tratamentos novos que estão surgindo e que poderão trazer um benefício maior (p. ex., talidomida como ‘terapia alternativa’, sozinha ou combinada a outros medicamentos, pode produzir remissões de mais de 1-2 anos e permitir a coleta de células-tronco e outros procedimentos).

     Estas informações foram tiradas do Manual do Paciente IMF 2003, parte do Kit Informativo IMF. Para solicita-lo gratuitamente, clique aqui.

     Se você tiver dúvidas sobre as informações desta página ou sobre qualquer aspecto do mieloma, entre em contato conosco clicando aqui.