Notícias e Destaques ASH 2017 mostra avanços no tratamento do mieloma múltiplo; aprovação de novos medicamentos podem ajudar pacientes brasileiros

Os novos tratamentos para o combate ao mieloma múltiplo são temas de destaque no ASH 2017, que acontece na cidade de Atlanta, EUA. Entre os estudos apresentados está o uso do daratumumabe na primeira linha de tratamento dos pacientes não candidatos ao transplante.

Angelo Maiolino, membro do conselho científico da International Myeloma Foundation Latin America, destacou que o uso do daratumumabe, combinado com melfalano, prednisona e bortezomibe, se mostrou eficiente no tratamento de primeira linha em pacientes idosos com MM.

O especialista também se mostrou otimista com o futuro do tratamento do mieloma múltiplo no Brasil. “Existem vários medicamentos sendo aprovados no mundo e, para nós do Brasil, é uma felicidade de ter uma aprovação muito próxima da lenalidomida”, completou. 

Segundo Maiolino, a aprovação da lenalidomida, combinado com outros medicamentos, como o daratumumabe, o carfilzomibe, o bortezomibe, trarão um impacto positivo no tratamento dos pacientes brasileiros com mieloma múltiplo. O médico também ressaltou que nos últimos anos o MM foi a doença hematológica com o maior avanço no tratamento.  

“São muitos os avanços e estamos bastante contentes de estar aqui trazendo essa notícia para os nossos pacientes do Brasil”, finaliza Maiolino.

 

A entrevista foi feita ao final da tradicional reunião da IMF Latin America, oportunidade em que os especialistas de todos os países da região se reúnem para apresentar seus cases e o nível de tratamento. A reunião contou com a presença de grandes nomes da Hematologia mundial, como Dr. Brien Durie e Jesus San Miguel.