Histórias de Pacientes Anunciata Amélia de Mendonça
lucia.a.amelia@gmail.com

Olá. Meu marido Hélio de 65 anos passou o ano de 2016 sentindo dores na costela, sempre indo no PA e tomando remédio pra dormir, mas sem melhoras. Em janeiro de 2017 a dor piorou muito, fomos no médico ortopedista particular e fez RX , o médico disse que se tratava de um tumor, talvez estaria no pulmão, encaminhou para o pneumologia que pediu uma tomografia. Quando veio o resultado e quando saiu o resultado o pneumologista ficou confuso com o resultado e mandou que procurassem os um cirurgião geral. E lá fomos nós para o cirurgião geral que olhando a tomografia disse que o tumor não era no pulmão e sim no quarto arco costal, e tinha que operar imediatamente. Em 10/3/ 2017 foi operado, correu tudo bem, teve alta do hospital e ficamos aguardando o resultado da biópsia. Em abril de 2017 saiu o resultado e infelizmente deu mieloma múltiplo a. Ficamos atrasados, choramos juntos mas seguimos em frente. No dia 6/5 do mesmo ano ele teve um deslizamento na coluna lombar e aí começaram todo sofrimento, não conseguia se alimentar, dormia sentado, urinando pouquinho seguido e perdendo peso dia após dia. No dia 28/5 do mesmo ano foi internado muito mal. Fez todos os exames de sangue e urina é colheu o sangue da medula pra confirmar a doença e foi confirmado, nesta altura ele ja estava completamente confuso devido a hipercalcemia muito alta. Foram dias difíceis, mas fez todo tratamento e no dia 12/6 /2017 teve alta do hospital, mas não conseguia andar ficou na cadeira de rodas e muita dor que nem a morfina de 6/6hrs não passava a dor. Em julho do mesmo ano começou a quimioterapia em comprimidos e Aredia mais a talidomida. Em novembro iniciou a quimioterapia venosa, veio os efeitos colaterais, a queda de cabelos mas ele sempre guerreiro. Em janeiro deste ano de 2018 foi encaminhado pro transplante de medula óssea autólogo, fez todos os procedimentos e no dia 14/3/2018 foi internado pro transplante, aguentou firme a colheita de cél ulas, a quimioterapia fortíssima e o transplante. Mas com 9 dias de transplante teve complicações e fui pra UTI. Infelizmente os médicos fizeram tudo, mas dia 6/3 ele veio a óbito. Deixo aqui a minha angústia, mas sei que ele foi um guerreiro e nunca desistiu de lutar. Para as pessoas que estão passando pelo mesmo problema. Não desistam nunca lutem e fé em Deus.

Participe. Conte você também a sua história. Clique aqui!